Estoque: 62 garrafas

Château Fortia - Cuvée du Baron

AOC Chateauneuf-du-Pape

Região Côtes du Rhône | Tinto | 2016

Uvas: Grenache 55%, Syrah 30% e Mourvèdre 15%.

Elegante . Equilibrado . Persistente . Taninos sedosos . Acidez equilibrada . Gastronômico

Harmonização: Carnes vermelhas, Queijos

R$352,00

CAIXA FECHADA

R$137,70/garrafa

CAIXA MISTA

R$153,00/garrafa
Ficha técnica
Safra: 2016
Conteúdo: 750 ml
Uvas: Grenache 55%, Syrah 30% e Mourvèdre 15%.
Teor alcoólico: 15,5%
Temperatura de serviço: 16 a 18º
Estimativa de guarda: 15 anos
Como conservar seu vinho: Para o vinho mostrar todo o seu potencial quando for degustado, ele tem de ser armazenado em ambiente fresco, com controle de temperatura e umidade, livre de trepidações e sem contato com a luz.
Ficha de degustação
Cor: Cor vermelha rubi densa com reflexos violetas.
Aroma: O nariz é dominado por especiarias suaves e alcaçuz, seguido de cereja fresca.
Paladar: A estrutura de tanino ainda está apertada mas com um grão muito fino. Compota de frutas pretas desenvolvem-se no palato, seguido de turfa fresca e notas delicadas de hortelã.

Um Chateauneuf-du-Pape histórico que pertenceu ao Baron Le Roy, o criador do primeiro sistema de apelação (Appellation d’Origine Contrôlée) na França e no mundo. A Cuvée du Baron é em homenagem a ele. Traz toda a tipicidade dos grandes Chateauneuf du Pape: encorpado, potente, complexo e masculino.

Técnicas de produção:
. Solo tradicional da cidade dos papas, de pedra rolada e areia
. Rendimento: 30 hl/ha
. Maceração tradicional de 4 semanas
. Vinificação de 24 meses em barril grande “foudre”

  • Seco
    Doce
  • Leve
    Potente
  • Simpes
    Complexo
  • - Frutado
    + Frutado
  • - Amadeirado
    + Amadeirado
  • - Tânico
    + Tânico
  • - Ácido
    + Ácido
Sobre a Região

Região: Côtes du Rhône
Vinícola: Château Fortia
Sobre a região: O rio Rhône nasce nos Alpes e se estende até o Mediterrâneo. Há vinhedos plantados em ambas as margens e estes se diferem muito dada a geografia, clima e solo peculiares de cada uma delas.

O desenvolvimento da viticultura nessa região é intimamente ligado a história, principalmente ao papado que se estabeleceu em Avignon no fim da Idade Média, sendo o centro da Igreja Católica nessa época. Vinhos de extrema qualidade foram produzidos para suprir as demandas dos papas que ali viviam.

Os vinhos da margem direita são mais finos e frutados e os da esquerda são definidos como mais robustos. Porém todos eles refletem os tons de seu terroir e do savoir-faire ancestral da região. Podemos sempre dizer que, tendo em vista a presença do clima mediterrâneo e do vento Mistral, são produzidos na região vinhos bastante variados, complexos e apaixonantes.

Apesar da maior parte de sua produção ser de tintos, excelentes brancos podem ser encontrados na região, sem falar dos rosés de Tavel, AOC mais antiga da França e exclusivamente dedicada a esse tipo de vinho.

Além de ser a maior região em superfície e produção de vinhos, de fato é uma região que nos convida a degustar um bom vinho!