Restam: 16 garrafas

Château Redortier - Coté Dentelles

Cote du Rhône

Região Côtes du Rhône | Tinto | 2016

Uvas: Grenache 80% e Syrah 20%.

Harmonização: Carnes vermelhas, Queijos, Sobremesas

De R$142,00 por:

CAIXA FECHADA

R$91,80/garrafa

CAIXA MISTA

R$102,00/garrafa
Ficha técnica
Safra: 2016
Conteúdo: 750ml
Uvas: Grenache 80% e Syrah 20%.
Teor alcoólico: 14%
Temperatura de serviço: 16 e 17º
Estimativa de guarda: 5 anos
Como conservar seu vinho: Para o vinho mostrar todo o seu potencial quando for degustado, ele tem de ser armazenado em ambiente fresco, com controle de temperatura e umidade, livre de trepidações e sem contato com a luz.
Ficha de degustação
Cor: Rubi denso.
Aroma: O nariz é aromático e complexo, encontrando especiarias, alcaçuz, morangos esmagados e aromas tostados.
Paladar: Boca carnuda, flexível, com bom comprimento e delicadeza.

Em Suzette, uma cidade encantadora situada entre Mont Ventoux e Dentelles de Montmirail (no Vaucluse), a família Menthon trabalha no Château Redortier desde 1956. 30 hectares são plantados com Syrah e Grenache em encostas com terraços entre 350 e 500 m acima do nível do mar, em um ambiente esplêndido e preservado, onde vinhedos e florestas acariciam os ombros.

 

Técnicas de Produção:

. Idade média das vinhas: 30 anos.
. Rendimento de 31 hectolitros/ hectar
. Colheita manual.
. Fermentação em cubas de madeira truncada em temperatura controlada.
. Envelhecimento em barris de carvalho.
. Solo argilo-calcário

 

Medalhas:

89 RP
90/92 John Reynols
16,5+ Janis Robinson

 

  • Seco
    Doce
  • Leve
    Potente
  • Simpes
    Complexo
  • - Frutado
    + Frutado
  • - Amadeirado
    + Amadeirado
  • - Tânico
    + Tânico
  • - Ácido
    + Ácido
Sobre a Região

Região: Côtes du Rhône
Vinícola: Château Redortier
Sobre a região: O rio Rhône nasce nos Alpes e se estende até o Mediterrâneo. Há vinhedos plantados em ambas as margens e estes se diferem muito dada a geografia, clima e solo peculiares de cada uma delas. 

O desenvolvimento da viticultura nessa região é intimamente ligado a história, principalmente ao papado que se estabeleceu em Avignon no fim da Idade Média, sendo o centro da Igreja Católica nessa época. Vinhos de extrema qualidade foram produzidos para suprir as demandas dos papas que ali viviam. 

Os vinhos da margem direita são mais finos e frutados e os da esquerda são definidos como mais robustos. Porém todos eles refletem os tons de seu terroir e do savoir-faire ancestral da região. Podemos sempre dizer que, tendo em vista a presença do clima mediterrâneo e do vento Mistral, são produzidos na região vinhos bastante variados, complexos e apaixonantes.

Apesar da maior parte de sua produção ser de tintos, excelentes brancos podem ser encontrados na região, sem falar dos rosés de Tavel, AOC mais antiga da França e exclusivamente dedicada a esse tipo de vinho. 

Além de ser a maior região em superfície e produção de vinhos, de fato é uma região que nos convida a degustar um bom vinho!